A HISTÓRIA

A História do Jiu-Jitsu

Como muitos outros temas da história, seria impossível descrever com precisão a origem do jiu-jítsu. Contudo, o que não falta são hipóteses. Cada cultura mostrou possuir alguma forma de luta corporal em sua história. Normalmente, o combate desarmado aparece na forma de luta corpo a corpo e, às vezes, de pugilismo. Examinando cronologicamente a história do combate, é possível que as técnicas de luta do jiu-jítsu tenham sido influenciadas pela Grécia antiga. Os Jogos Olímpicos eram uma das tradições dos gregos, e um de seus esportes mais populares, o pancrácio, envolvia técnicas de pugilismo e combate corporal, tornando-se mais popular para os gregos do que qualquer um deles, individualmente. Durante suas conquistas, Alexandre Magno (356-323 A.C.) levou a cultura grega para as regiões que dominou. Suas vitórias chegaram à Índia, onde ele introduziu os costumes e os ideais da cultura helênica aos povos daquela região que foi, provavelmente, o berço do jiu-jítsu.

A opinião geral, aceita pela maioria dos historiadores, é de que as técnicas sistematizadas das artes marciais vieram da Índia, junto com o budismo (Dharma). A teoria é que o templo de Shaolin foi construído no centro da China, precisamente onde o Dharma introduziu o budismo e o pugilismo. Conta-se que monges budistas do norte da Índia muito contribuíram para o desenvolvimento inicial do jiu-jítsu. Em suas longas viagens pelo interior da Índia, os monges eram constantemente assaltados por bandidos. Os valores religiosos e morais budistas não permitiam o uso de armas, por isso os monges foram forçados a desenvolver um sistema de autodefesa usando as mãos nuas.

 

 

 

Esses monges eram homens de grande saber e perfeito conhecimento do corpo humano. Por conseguinte, aplicaram leis da física, tais como sistema de alavanca, cinética, equilíbrio, centro de gravidade, atrito, transmissão de peso e manipulação de pontos vitais da anatomia humana, a fim de criar uma arte científica de autodefesa.

Uma coisa é certa sobre tais histórias: os japoneses foram os responsáveis pelo refinamento de uma arte de luta corporal na forma de um sistema de combate corpo a corpo muito sofisticado chamado jiu-jítsu, que foi desenvolvido no Japão durante o período feudal.

O Nascimento do GRACIE Jiu-Jitsu

Helio logo percebeu que, devido a seu físico frágil, não conseguia executar facilmente a maioria das técnicas que havia aprendido ao observar as aulas de Carlos. Com a determinação de executá-las eficientemente, começou a modificá-las para que se adaptassem à sua frágil constituição física. Enfatizando os princípios de alavanca e a escolha do momento certo, sobre a força e a velocidade, Helio praticamente modificou todas as técnicas e, por meio de tentativas e erros, criou o Gracie Jiu-Jitsu, o Jiu-Jítsu Brasileiro.

Para provar a eficácia de seu novo sistema, Helio desafiou publicamente todos os praticantes de artes marciais mais respeitáveis do Brasil. Participou de 18 lutas, incluindo desafios contra o antigo campeão mundial peso pesado de luta-livre, Wladek Zbyszko, e o segundo maior judoka do mundo na época, Kato, a quem Helio estrangulou e deixou desacordado após 6 minutos de combate. Sua vitória contra Kato qualificou-o para subir no ringue contra o campeão mundial Masahiko Kimura, quase 35 quilos mais pesado. Kimura ganhou a luta, mas ficou tão impressionado com as técnicas de Helio, que lhe pediu que fosse ensinar no Japão, admitindo que aquelas técnicas que Helio apresentara durante a disputa não existiam no Japão. Era o reconhecimento do melhor do mundo à dedicação de Helio ao refinamento da arte.

Aos 43 anos, Helio e seu adversário Waldemar Santana, um ex-aluno, bateram o recorde mundial do mais longo combate de vale-tudo da história, quando lutaram, incrivelmente, durante 3 horas e 40 minutos, sem intervalos!

Helio, amplamente considerado o primeiro herói do esporte na história brasileira, também desafiou ícones do boxe, como Primo Carnera, Joe Louis e Ezzard Charles. Todos recusaram.

Uma lenda contemporânea, Helio Gracie conquistou aclamação internacional por sua dedicação à divulgação da arte e da filosofia do Gracie Jiu-Jitsu. Devotado à família, um exemplo de vida saudável, Helio Gracie foi um símbolo de coragem, disciplina e determinação, e uma inspiração para todos os que o conheceram.

A mensagem do Grande Mestre Hélio Gracie

"O Jiu-Jitsu que criei foi para dar chance aos mais fracos enfrentarem os mais pesados e fortes. E fez tanto sucesso, que resolveram fazer um Jiu-Jitsu de competição. Gostaria de deixar claro que sou a favor da prática esportiva e da preparação técnica de qualquer atleta, seja qual for sua especialidade. Além de boa alimentação, controle sexual e da abstenção de hábitos prejudiciais à saude. O problema consiste na criação de um Jiu-Jitsu competitivo com regras, tempo inadequado e que privilegia os mais treinados, fortes e pesados. O objetivo do Jiu-Jitsu é, principalmente, benificiar os mais fracos, que não tendo dotes físicos são inferiorizados. O meu Jiu-Jitsu é uma arte de autodefesa que não aceita certos regulamentos e tempo determinado. Essas são as razões pelas quais não posso, com minha presença, apoiar espetáculos, cujo efeito retrata um anti Jiu-Jitsu."

Venha nos visitar!

E SAIA mais confiante e feliz

Shopping Open Mall

Av. das Américas, 7907 - Bloco 1 - Loja 119

Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ

22793-081

(21) 98547-1144

  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon
d968d9_0ac0368b2477466ba674a8f8c7ab8897~

© 2020 por Gracie Humaitá Reserva - Barra da Tijuca | Todos os direitos reservados